USF-AN participa na cerimónia de inauguração da 100ª USF desta legislatura – USF Bombarral

16.julho.2019

A USF-AN participou hoje, representada pelo seu Presidente da Direção, na cerimónia de inauguração da USF Bombarral, que é a 100ª USF aberta nesta legislatura. Esta cerimónia foi presidida pelo Primeiro-ministro, António Costa, fazendo-se acompanhar da Ministra da Saúde, Marta Temido, bem como, por representantes da Coordenação Nacional da Reforma dos Cuidados de Saúde Primários e outras estruturas governamentais e não-governamentais.

Congratulamos o atual Governo pela meta alcançada, no entanto não podemos deixar de afirmar que se torna pernicioso, para os Cidadãos, a existência de cotas para a abertura de novas USF.

O modelo USF tem demonstrado, ao longo destes 11 anos, a sua mais-valia para o cidadão e para o próprio SNS e erário público. Este facto tem sido comprovado por estudos independentes, nomeadamente da Entidade Reguladora da Saúde  (dados referentes a 2015), da Escola Nacional de Saúde Pública  (estudo em curso que já tem dados preliminares da utilização dos Serviços de Urgência), da Coordenação Nacional para a Reforma dos CSP, sobre a “Avaliação de custos-consequências das USF B e UCSP”, além dos dados disponíveis no Portal SNS (BI-CSP).

Sabemos que com a inauguração da USF Bombarral, o atual Governo dá como concluído o desafio lançado no Programa do XXI Governo. É, manifestamente, insuficiente e pouco ambicioso pois temos ainda 52 candidaturas a USF de modelo A (dados do Portal da Saúde).

É do conhecimento público que as USF garantem mais cidadãos com acesso a equipa de saúde familiar, dão maior taxa de cobertura em todas as áreas, controlam melhor os diabéticos, os hipertensos, grávidas, recém-nascidos e idosos.

Para além disto, no que respeita a indicadores financeiros, as USF, nomeadamente as de modelo B, são ainda mais baratas para o país, gerando uma poupança que ronda os 103 milhões de euros anuais, comparativamente ao modelo tradicional (UCSP).

Por tudo isto, limitar a abertura de mais USF bem como obstaculizar a evolução das mesmas para o seu modelo B, é impedir ganhos em saúde e o acesso de vários cidadãos a cuidados de saúde adequados e de proximidade.

Nesta cerimónia, foi ainda possível recordar a Senhora Ministra da Saúde sobre a falta do relatório sobre o estudo de avaliação favorável das USF modelo B, que deveria ter sido homologado e tornado público até ao final do primeiro semestre do presente ano, de acordo com o Despacho n.º 1174-B/2019, de 1 de fevereiro.

Sobre esta temática não obtivemos nenhuma informação concreta, contudo, apesar do atraso observado, esperamos que esta situação não se prolongue mais no tempo e fique resolvida o mais rapidamente possível.

Estamos convictos que o caminho a seguir para termos CSP próximos, acessíveis e humanizados e um SNS sustentável é o de criação de mais USF, generalizando o modelo a todo o país.

A USF-AN reclama USF para todos os cidadãos!

A Direção

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!