Reunião com Estrutura de Missão para a Sustentabilidade do Programa Orçamental da Saúde (EM-SPOS)

No passado dia 10 de março, no Ministério das Finanças, o Presidente da Direção acompanhado pelos seus Vice-Presidentes, reuniu com a Estrutura de Missão para a Sustentabilidade do Programa Orçamental da Saúde (EM-SPOS), coordenada pelo Doutor Julian Alejandro Perelman, tendo como objetivo discutir o futuro do modelo retributivo das USF de modelo B.

Nesta reunião, a USF-AN apresentou o seu ponto de vista e do seu Conselho Consultivo sobre a possível “proposta de novo modelo de pagamento pelo desempenho para as Unidades de Saúde Familiar modelo B;”, conforme foi definido pela publicação da Resolução do Conselho de Ministros n.º 3/2020, na qual se atribui a competência de elaboração desta proposta à EM-SPOS.

De forma resumida, os pontos abordados e apresentados foram:

  • Sobre a necessidade de revisitar o Sistema Retributivo das USF de modelo B, a USF-AN e o seu Conselho Consultivo assumem as seguintes considerações:
  1. Manter os três tipos de UF existentes: UCSP, USF A e B;
  2. Acabar com as quotas para as USF A e B, definindo épocas fixas de início de funções;
  3. Clarificar os critérios de acesso ao modelo A e B;
  4. Clarificar os critérios de manutenção em USF B;
  5. Regularizar a nível nacional utilização efetiva dos Incentivos Institucionais. A impossibilidade de utilizar os Incentivos Institucionais poderá estar a levar a um efeito teto nos indicadores;
  6. Qualificar a administração (todas) para monitorizar, acompanhar e auditar rotineiramente;
  7. Qualificar a autonomia dos Conselhos Gerais das USF, apostando na qualidade das lideranças e na implementação da governação clínica;
  8. Criar estrutura nacional com a missão de concretizar os pontos nº 6 e 7;
  • Relativamente ao Sistema Retributivo Misto:
  1. Regime de trabalho base em 35 horas;
  2. Fechar definitivamente os critérios para a ponderação das listas (Índice de Complexidade?);
  3. Rever a carteira básica;
  4. Definir que tipo base de outros profissionais de saúde (nutricionistas, psicólogos clínicos, consultores hospitalares, etc) devem estar afetos às USF;
  5. Introduzir a avaliação do trabalho em rede com as UF do Centro de Saúde, do ACeS e do Hospital;
  6. Regime retributivo dos Médicos deve ser alargado aos outros grupos profissionais;
  7. Introduzir no IDG critérios para avaliar a salotegenidade organizacional;
  8. Definir o tempo mínimo para os incrementos relacionados com o aumento de lista de utentes;
  9. Variável qualitativa atual das atividades específicas ser substituída por escalões do IDG;
  10. Apostar na melhoria do acesso, urgências evitáveis e internamentos evitáveis;
  11. Ponderar a dedicação plena.

A USF-AN agradece esta audiência, que certamente possibilitou esclarecer alguns temas relacionados com a orgânica das USF e dos CSP, consequentemente contribuindo para que a proposta a ser apresentada pela EM-SPOS seja focada na valorização e reconhecimento dos profissionais das USF e dos CSP, e com enfoque no cidadão como centro do Serviço Nacional de Saúde.

A USF-AN continuará disponível para colaborar com todas as instituições que promovam ações em prol do desenvolvimento dos CSP do SNS.

A Direção

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!