O DESPACHO QUE TEM DE SER ALTERADO!

O despacho 6080-B/2014, publicado no dia 9 deste mês de maio, com vários meses de atraso, assinado pelo Ministro da Saúde e pela Ministra das Finanças, é inaceitável e tem de ser alterado, como defendeu o Presidente da USF-AN, perante Paulo Macedo, no encerramento do 6º Encontro Nacional das USF, realizado no Porto, nos dias 8, 9 e 10 de maio.

De facto, é um despacho inexplicável e desajustado. Senão veja-se o quadro abaixo, onde se compara o número máximo de USF a criar em 2014, segundo este despacho, com o número de candidaturas ativas a USF, quer a modelo A, quer a modelo B, segundo a estatística oficial da ACSS:


Como se constata facilmente, há uma discriminação negativa da região Norte e do Algarve. Em relação às USF modelo A, no Norte, as unidades que não são contempladas, traduzir-se-ão em milhares de utentes que continuarão sem médico e sem equipa de família, caso o despacho não seja alterado.

Em relação às USF modelo B, no Norte e no Algarve, que não terão possibilidades de evoluir, caso o despacho não seja alterado, trata-se de equipas que demonstraram melhores resultados organizacionais, claros benefícios de saúde para a população e, apesar disso, não verão o seu trabalho reconhecido.

A USF-AN defendeu que este ano, fossem criadas pelo menos 70 novas USF modelo A e 35 modelo B, partindo das necessidades do país e dos cidadãos, por um lado e das expectativas dos profissionais de saúde, por outro. Presentemente defende, no mínimo, a evolução imediata para modelo B de todas as que têm parecer técnico favorável e defende um novo despacho, coerente com as candidaturas ativas e com as perspetivas de evolução nas várias regiões e a nível nacional (ver quadro abaixo), que constitua um sinal da vontade política de investimento nos Cuidados de Saúde Primários.



A USF-AN exige maior atenção para os principais problemas que carecem de resolução nas USF, nas UCSP e nos CSP, maior reconhecimento pelo trabalho realizado pelos profissionais de saúde, pelo valor de saúde acrescentado, maior apoio e maior investimento.

A USF-AN apela à decisão política e de financiamento coerente e orientada para o cidadão, que relance a Reforma dos Cuidados de Saúde Primários e assegure uma equipa de saúde,  com qualidade, para todos.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!