Manifesto “Salvar o SNS – estamos do lado da solução”

No passado dia 30 de junho, no auditório do Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, em Lisboa, a USF-AN participou numa conferência dedicada à apresentação do manifesto «Salvar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) – Estamos do lado da solução», que contou com a presença da Ministra da Saúde, Marta Temido, na sessão de encerramento.

A conferência começou com uma intervenção de Filipe Froes, médico pneumologista, sobre a Pandemia atual, com alguns dados sobre a sua origem e de que forma se espalhou a todo o mundo. Alguns dados e conclusões a reter:

  • Esta é primeira pandemia de um coronavírus;
  • Mortalidade é superior à da gripe espanhola, mas com 100 anos de avanço tecnológico;
  • A evolução tecnológica, a liberdade e facilidade de circulação de pessoas em todo o mundo fez com que o mesmo “se pusesse a jeito”;
  • A resposta à gripe A provocou uma falsa sensação de segurança, por que se deu resposta superior ao que se esperava;
  • Em Portugal, foi elaborada uma estratégia de mitigação em fase pandémica. Foi essencial o contributo que os profissionais dos Cuidados de Saúde Primários no controlo e vigilância da maioria dos casos;
  • Falhámos na estratégia de desconfinamento. Começamos a desconfinar ainda com uma média superior a 200 casos/dia. Não conseguimos transformar dados epidemiológicos em informação e estratégias de saúde pública;
  • Os profissionais de saúde não “deram o litro – deram o garrafão inteiro”;
  • Esta é a altura de repensar o SNS.

Seguiu-se uma intervenção de Isabel do Carmo, médica endocrinologista, apresentando o manifesto «Salvar o SNS – Estamos do lado da solução».

O manifesto foi escrito por 20 pessoas da área da saúde, de forma inorgânica. Os subscritores do documento não são burocratas, são pessoas que estão no “olho do furacão” e é reflexo de uma atitude colaborativa para apresentar soluções e não apenas problemas. Realçou-se que é essencial valorizar os Cuidados de Saúde Primários e definir estratégias de colaboração ativas com os cuidados hospitalares, nomeadamente com a deslocação dos especialistas hospitalares aos CSP. É necessário haver estruturas hospitalares robustas, com estruturas adequadas, para que deixemos de ver camas nos corredores dos hospitais. Esse cenário é um atentado à dignidade humana.

Posteriormente seguiram-se três intervenções sobre temas específicos e críticos para o SNS:

  • Financiamento e investimento;
  • Os profissionais de saúde – Carreiras, salários e regimes de trabalho;
  • Integração de cuidados.

Salientamos a intervenção do Dr. João Rodrigues, com o tema Integração de cuidados, completamente alinhada com o último tema do nosso Encontro Nacional, em Almada – “Reinventar o Centro de Saúde – a rede das redes”. Hoje, mais que nunca, será importante melhorar a rede de cuidados de saúde, alimentando as sinergias e cooperações entre as diferentes unidades prestadoras de cuidados.

A sessão finalizou com a intervenção da Senhora Ministra da Saúde, podendo recordar a sua intervenção aqui.

A USF-AN subscreve o manifesto «Salvar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) – Estamos do lado da solução», mantendo-se disponível para colaborar em todas as ações que cumpram a defesa e desenvolvimento do SNS e dos CSP.

A Direção

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Unidades de Saúde Familiar - Associação Nacional